AmphibiaWeb - Pristimantis fenestratus
AMPHIBIAWEB
Pristimantis fenestratus
family: Strabomantidae

© 2009 José M. Padial (1 of 12)

 view video (1761.3K MPG file)
  hear Fonozoo call

[video details here]

Conservation Status (definitions)
IUCN (Red List) Status Least Concern (LC)
CITES No CITES Listing
National Status None
Regional Status None
Access Conservation Needs Assessment Report.

   

 

View distribution map in BerkeleyMapper.
View Bd and Bsal data (4 records).

Source credit:
Guia de Sapos da Reserva Adolpho Ducke, Amazonia Central by Lima et al. 2005


INPA (Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia)
PPBio (Programa de Pesquisa em Biodiversidade)
PELD (Pesquisas Ecológicas de Longa Duração)

Authors: Albertina P. Lima, William E. Magnusson, Marcelo Menin, Luciana K. Erdtmann, Domingos J. Rodrigues, Claudia Keller, Walter Hödl

Distribuição na RFAD: É facilmente encontrada em toda a reserva, sobre a liteira ou arbustos.

Distribuição geral: Amazônia do Brasil, Bolívia e Peru, até o sul da Guiana; também no Brasil central.

Descrição: Machos 25-32 mm, fêmeas 35-45 mm. O dorso tem várias tonalidades de marrom. O ventre é de cor creme. A região gular tem manchas escuras. As pernas traseiras são mais longas que o corpo. Os lábios inferior e superior apresentam faixas alternadas claras e escuras. Uma faixa escura passa acima do tímpano. Os dedos são longos, com o ápice em forma de “T”. A íris é dourada com uma faixa central alaranjada.

Espécies semelhantes: Quando jovem pode ser confundido com Adenomera andreae ou Dendrophryniscus minutus, mas o ápice dos dedos em forma de “T” em E. fenestratus os distingue facilmente.

História natural: Terrestres e arborícolas. Jovens diurnos e adultos noturnos. Alimentam-se principalmente de colêmbolos, cigarrinhas, aranhas, besouros e grilos. A reprodução ocorre de novembro a maio. Os machos são territoriais e freqüentemente são encontrados vocalizando sobre a liteira, galhos ou arbustos, 10-60 cm acima do solo. A desova, de aproximadamente 10 a 20 ovos, é depositada no solo, debaixo de folhas caídas. Todo o desenvolvimento do girino até a metamorfose ocorre dentro do ovo.




Feedback or comments about this page.

 

Citation: AmphibiaWeb. 2022. <https://amphibiaweb.org> University of California, Berkeley, CA, USA. Accessed 28 Jan 2022.

AmphibiaWeb's policy on data use.