AMPHIBIAWEB
Proceratophrys boiei
Boie's Frog, Rio de Janeiro's Smooth Horned Frog, sapo-de-chifre, sapo-folha, intanha-pequena.
family: Odontophrynidae

© 2008 Mauro Teixeira Jr (1 of 51)

  hear call (218.9K MP3 file)
  hear call (87.0K MP3 file)
  hear call (793.0K MP3 file)

[call details here]

Conservation Status (definitions)
IUCN (Red List) Status Least Concern (LC)
CITES No CITES Listing
Other International Status Least Concern (LC)
National Status Not listed
Regional Status Not listed

 

View distribution map using BerkeleyMapper.

   

Descrição:
Esta espécie pertence ao grupo de P. boiei (Lynch 1971; Prado & Pombal 2008). O tamanho do corpo é 40-62 mm em machos, fêmeas 40-74 mm SVL). A cabeça é mais larga do que longa e o corpo é robusto, com várias verrugas. O focinho é arredondado em vista dorsal, pálpebras superiores com um apêndice em forma de chifre. Tímpano indistinto. Machos com um único saco vocal interno, fendas vocais presentes, dobra simétrica da ponta dos chifres ao sacro. Tubérculo metatarsal interno muito grande. Mão comtubérculos supranumerários. Garganta cinzenta. Superfície dorsal coberta com verrugas, barriga e superfície ventral com granulações (Cochran 1955; Prado & Pombal 2008). Coloração geral dorsal marrom, com uma série de barras, sob o olho (Heyer et al. 1990). A massa corporal média é de 9,53 g (Rocha et al. 2007). Izecksohn et al. (2005) forneceu uma descrição detalhada do osteocranium de P. boiei e concluiu que esta espécie é muito semelhante à P. appendiculata e P. melanopogon.

O girino foi descrito por Izecksohn et al. (1989). No estágio 34, o corpo é elíptico e deprimido. Olhos dorsolaterais. Aparatoo oral é ventral, cercado por uma única fileira de papilas marginais; apresenta papilas submarginais em ambos os lados do disco oral. LTRF 2 (2) / 3 (1). Narinas elípticas. Espiráculo é sinistro, e dirigido dorsoposteriormente. O aspecto geral do corpo é castanho claro, com algumas pequenas manchas escuras. O ventre é pigmentado com manchas douradas. A porção dorsal da musculatura caudal apresenta manchas marrons escuras esparsas.

Distribuição, Altitude, Habitat:
P. boiei é distribuído ao longo do leste do Brasil, associado à Mata Atlântica e áreas de transição com Cerrado, desde o sul do estado do Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paraná ao sul de Santa Catarina, até 1.200 m de altitude (Prado & Pombal 2008). A espécie é mais comumente encontrada na serapilheira dentro de florestas (Haddad & Sazima 1992; Zina et al. 2007; Serafim et al. 2008), perto de riachos e córregos pequenos, estreitos e permanente (Conte & Machado 2005).

História de Vida, Abundância, Atividade e Comportamentos Especiais:
Os machos desta espécie vocalizam à noite a partr do solo (Conte & Machado 2005) perto riachos e córregos pequenos, estreitos e permanente ou brejos (Bertoluci & Rodrigues 2002; Conte & Rossa-Feres 2006), Às vezes pode ser encontrado em florestas secundárias (Heyer et al. 1990; Canelas & Bertoluci 2007). A temporada de vocalização vai de Setembro a Janeiro, com um pico de abundância de machos no final da estação chuvosa (Bertoluci 1998). Em geral, a atividade de vocalização ocorre no início da noite (Pombal 1997). O canto de anúncio falta estrutura harmônica, o canto é dado de forma esporádica e dura de 0,7-0,8s (Heyer et al. 1990). O canto pode ser ouvido em Haddad et al. (2005).

Os ovos podem ser colocados em brejos (modo reprodutivo 1 de Haddad & Prado 2005) ou em córregos (modalidade 2), girinos são bentônicos (Izecksohn et al. 1979). Espécimes recém-metamorfoseados podem ser encontrados em fevereiro (Prado & Pombal 2008).

P. boiei parece ser muito comum ao longo da sua distribuição, embora não muito denso na serapilheira (Giaretta et al. 1999, Rocha et al. 2007).

A dieta é composta basicamente de grilos, besouros, Blattodea, Folha de outros sapos de serapilheira, e aranhas (Giaretta et al. 1998; Ribeiro et al. 2005). Giaretta et al. (1998) relatou uma mudança ontogenétic na dieta para a espécie.

Tendências e Ameaças:
Sua distribuição abrange muitas áreas protegidas, como o Parque Estadual Intervales, Estação Biológica de Boracéia, na Serra do Japi, Reserva Biológica Augusto Ruschi, RPPN Serra do Caraça, Parque Nacional da Tijuca, Parque Nacional da Serra da Bocaina, PETAR, o Parque Nacional de Itatiaia, Parque Nacional da Serra dos Órgãos, Parque Estadual da Serra do Março. É uma espécie comum ao longo da sua distribuição.

Observações:
A população do norte de Proceratophrys boiei, a partir do norte do Espírito Santo ao Ceará, teve seu status específico revalidade como P. renalis, esta espécie estava anteriormente sob o sinônimo de P. boiei (Prado & Pombal 2008).

Referências:
A lista de literatura citada encontra-se no fim do resumo em inglês.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Escrito por: Diogo Borges Provete, Departamento de Zoologia e Botânica, Universidade Estadual Paulista-SP (UNESP), Brasil, 2010-03-17
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------



Feedback or comments about this page.

 

Citation: AmphibiaWeb. 2017. <http://amphibiaweb.org> University of California, Berkeley, CA, USA. Accessed 22 Aug 2017.

AmphibiaWeb's policy on data use.